SUSTENTABILIDADE É TAMBÉM PARA OS PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS

Muito tem se falado dos problemas ambientais e sociais que estamos enfrentando, e várias empresas tem buscado formas para reduzir esses problemas.


Mas vale a pena alguns questionamentos:


1) As pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras têm se envolvido nessas discussões?

2) As questões relacionadas à sustentabilidade e aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) são temas apenas para grandes empresas?

3) As PMEs podem adotar práticas e se beneficiarem delas?


Engajamento das PMEs com a Sustentabilidade, no mundo

A sustentabilidade é uma tendência mundial entre os pequenos e médios empresários, de acordo com pesquisas realizadas no Canadá, Austrália e em diversos países da Europa.


Na Europa, particularmente, práticas sustentáveis já foram incorporadas pelas empresas e por cidadãos comuns graças às políticas governamentais, e aos altos custos de derivados do petróleo e energia.


A adoção de energia solar ou eólica deixou de ser uma tendência e passou a ser prática na maioria dos países europeus. A reciclagem e a redução no consumo de plásticos descartáveis, em vários países, passaram a fazer parte da política governamental sendo regulada por meio de multas.


Em Portugal, por exemplo, a multa pela “não reciclagem” de lixo na cidade do Porto pode ir de 75 a 5.000 euros, dependendo da gravidade. E os órgãos públicos portugueses não podem mais utilizar copos, garrafas e demais utensílios produzidos com plástico descartável, determinação que deverá ser alargada para todo o comércio.

Desta forma, o país tem conseguido a adesão de toda a sociedade, o objetivo do país é atingir as metas da agenda 2030.


De acordo com Linda Condom [1], as PMEs possuem muito mais facilidade na adoção de práticas sustentáveis do que as grandes empresas, uma vez que são capazes

de reagir rapidamente às mudanças no ambiente de negócios.


A desvantagem está na falta de informações sobre as mudanças do mercado que tornam a sustentabilidade uma oportunidade de inovar e inspirar os funcionários.


O Sustainability Knowledge Group, uma organização de Dubai com atuação global, defende que, a mensagem e a narrativa dos ODS não penetraram nas PMEs e, muitas vezes, as PMEs não estão cientes das decisões de Sustentabilidade que elas próprias já vêm implementando.


Uma pesquisa realizada pela empresa apontou que as PMEs lutam para identificar como podem usar a Sustentabilidade como uma força para o crescimento e se adaptar às megatendências do momento atual, tais como: o aumento da globalização, digitalização, a nova revolução industrial, a natureza mutável do trabalho e mudanças demográficas.


Engajamento das PMEs brasileiras com a Sustentabilidade

Mas como encontram-se as empresas brasileiras?


O estudo “Engajamento dos Pequenos Negócios Brasileiros em Sustentabilidade e aos ODS”, realizado pelo Sebrae de Mato Grosso[2], em 2018, trouxe alguns achados bastante interessantes, sobre os quais vale a pena a nossa reflexão. Foram entrevistados 1887 pequenos empresários, de todas as regiões do Brasil, no período de 24/11 a 15/12/2017.


Seguem abaixo alguns dos principais resultados da pesquisa:


a) Sustentabilidade:

  • 63% consideram sustentabilidade muito importante para as empresas.

  • 54% aplicam ações sustentáveis de maneira isolada, esporádica e sem planejamento.

b) Uso eficiente de energia:

  • 88% implantam alguma ação de eficiência energética.

c) Uso eficiente de água:

  • 60% adotam práticas para economia de água.

  • 48% adotam como principal prática, vasos acoplados com descarga de duplo acionamento.

d) Gerenciamento de resíduos sólidos:

  • 81% adotam iniciativas de gerenciamento de resíduos.

e) Desenvolvimento social:

  • 93% contratam mão de obra local.

  • 85% apoiam a comunidade local.

f) Política de compras:

  • 42% buscam materiais mais sustentáveis e compram apenas se eles não afetarem negativamente os custos da empresa.

g) Comprometimento:

  • 93% sentem-se comprometidos com relação aos objetivos da sustentabilidade.

  • 67% adotam práticas sustentáveis para buscar a justiça social e a preservação do meio ambiente.

h) Oportunidades:

  • 91% consideram que a sustentabilidade gera oportunidades

Estes dados demonstram que as PMEs brasileiras são suscetíveis às ações de sustentabilidade.

Diante desses resultados algumas perguntas que devemos nos fazer:


1) O nosso discurso está chegando a essas empresas da forma que deveria?

2) Há um entendimento correto sobre o que é Sustentabilidade?

3) Há resistências em relação ao termo “sustentabilidade”?

É interessante perceber que muitas PMEs já adotam práticas de sustentabilidade, mas não possuem estratégias de marketing que promovam a divulgação dessas ações, ou, simplesmente, não as relacionam a práticas sustentáveis.

E mais. Muitas dessas PMEs que já adotam essas ações, talvez não tenham ainda mensurado os resultados econômico-financeiros obtidos no negócio.

Como já mencionado, as PMEs são mais ágeis em se adaptarem às mudanças no ambiente de negócio. A proximidade com clientes, fornecedores e funcionários favorece essa reação e a adoção de práticas mais sustentáveis, como por exemplo, a redução no consumo de energia, reaproveitamento de água de chuva, redução no uso de embalagens, entre outras.

O mesmo pode-se dizer em relação às práticas sociais, notadamente aquelas relacionadas à gestão social, gestão com os stakeholders, o relacionamento com a comunidade, a geração de empregos na região de atuação etc..


Por isso, é importante “descomplicar alguns conceitos” e demonstrar para as PMEs que práticas de sustentabilidade não estão longe de sua realidade e, muitas vezes,

refletem em resultados positivos para a empresa, tais como a redução de custos, ou

a maior valorização da empresa na comunidade onde está inserida.

Como aumentar o engajamento das PMEs brasileiras com a Sustentabilidade?

Percebe-se assim que as PMEs estão propensas a adotar práticas sustentáveis ou, até mesmo, já adotaram. Mas é necessário facilitar o diálogo entre as PMEs e a Sustentabilidade, o que pode ser feito “descomplicando” os modelos de gestão sustentáveis para as PMEs e adequá-los melhor a sua realidade.

Algumas dessas práticas passam pelo controle no consumo de energia, melhor gestão da água, políticas de redução de recursos, substituição de produtos não renováveis por produtos renováveis, valorização dos fornecedores e da mão de obra local, e muitas outras medidas simples, que podem ser adotadas sem grandes dificuldades pelas PMEs.


A dica é: Simplificar os conceitos e abrir o acesso à informação.

Sobre a autora:

Denise Pereira Curi

Especialista e Mentora em Estratégias Socioambientais na Era Digital

Membro da INTERACTTI – Rede de Empreendedorismo e Negócios.

Pesquisadora na Universidade de Aveiro – Porto – Portugal

PhD pela USP.

Linkedin


Gostou desse artigo? Então curta, comente e compartilhe com sua rede!

[1] Condom, Linda. (2004). Sustainability and Small to Medium Sized Enterprises--How to Engage Them. Australian Journal of Environmental Education 20 (1).

[2]http://sustentabilidade.sebrae.com.br/Sustentabilidade/Para%20sua%20empresa/Publicações/Pesquisa%20Engajamento_WEB%20(1).pdf


 “Abrir a nossa mente para novas possibilidades amplia a nossa visão de vida e nos motiva

a definir estratégias para a construção do futuro que queremos.”  Simone Basile 

© Copyright  2014 / 2019   Todos os direitos Reservados Interactti

Telefone 55 11 94538 6527