Qualidade na Era da Transformação Digital: Afinal, o que é Qualidade 4.0?

Segunda revolução industrial: A descoberta do papel da Qualidade.

O que hoje conhecemos como profissão de qualidade teve início em meados da segunda revolução industrial, com os métodos de gestão científica introduzidos por Henri Fayol na França e Frederick Winslow Taylor nos Estados Unidos.

As fábricas precisavam de métodos para garantir que as linhas de montagem funcionassem sem problemas. A introdução desses métodos promoveu maior participação dos colaboradores no processo de produção e maior controle dos custos envolvidos. À medida que a produção industrial amadureceu, esses métodos passaram a abranger o projeto de processos construídos para produzir especificações.

Nos anos 80 e 90, o surgimento da computação pessoal trouxe novas mudanças. As organizações direcionaram seus esforços de qualidade em torno do valor da cultura e do engajamento ativo na qualidade e gestão da qualidade total (#TQM).

As metodologias Lean e Seis Sigma ganharam popularidade e as empresas

passaram a capacitar seus colaboradores para que pudessem contribuir

com a melhoria contínua. Em outras palavras, a qualidade passou a ser

responsabilidade de todos.



Qualidade e a 4ª Revolução Industrial - 2015: Primeiro alerta da ASQ

A Qualidade 4.0 combina novas tecnologias com os métodos tradicionais de qualidade para levar a área rumo à excelência operacional, unindo desempenho e inovação.

O cenário digital é desenvolvido também no setor de qualidade e

não somente nas ações específicas de fabricação. Foi em 2015 a primeira vez

em que o Relatório de Qualidade do Futuro da American Society for Quality (ASQ)

abordou as implicações de qualidade na quarta revolução industrial.

O estudo teve como objetivo caracterizar a evolução da qualidade considerando os próximos cinco a dez anos para preparar os especialistas de qualidade para os desafios do futuro. Os autores do relatório descreveram de que forma a saúde e a viabilidade de todo o ecossistema industrial se tornariam uma preocupação de todos e anteciparam o surgimento de várias novas perspectivas, incluindo:


Mudança de ênfase na profissão de qualidade: de eficiência, eficácia e satisfação para aprendizado e adaptação contínua

  • Mudança de fronteiras dentro e entre as organizações, a forma de compartilhamento de informação entre as diferentes áreas, devido à disponibilidade de informações e transparência

  • Importância da cadeia de suprimentos e da visibilidade dos processos de produção

  • Monitoramento e resposta a qualquer elemento em tempo real

  • Ênfase crescente na experiência do cliente.


Segundo os autores, o resultado representaria uma evolução na maneira como nos aproximamos e lidamos com problemas.


Qualidade 4.0: Indústria 4.0 e Transformação Digital

O termo Indústria 4.0 foi mencionado pela primeira vez na Alemanha, em 2011, como uma proposta para o desenvolvimento de um novo conceito de política econômica baseado em estratégias de alta tecnologia.

Essas tecnologias estão mudando o papel dos colaboradores e seus trabalhos, permitindo interações entre os diferentes componentes da indústria, em toda a cadeia de valor, desde os fornecedores até os clientes.

A digitalização empresarial é o começo da evolução organizacional, é o principal resultado da introdução aos sistemas digitais. Os usos de ferramentas de trabalho digitais, ferramentas colaborativas e informações virtuais, mudarão profundamente o perfil do trabalho e os requisitos para os colaboradores.

As Tecnologias Digitais, aplicadas a todos os aspectos das organizações, são o que se chama: Transformação Digital. Transformação digital é a profunda transformação de atividades, processos, competências e modelos de negócios e organizações, para aproveitar plenamente as mudanças e as oportunidades de um mix de tecnologias digitais e seu impacto acelerado na sociedade, de maneira estratégica e priorizada, com mudanças presentes e futuras em mente.

É preciso promovermos mudança de opinião sobre como a produção e a qualidade foram controladas até agora. A aquisição e a análise de dados direcionadas pela demanda podem otimizar os custos e a qualidade de fabricação.

A base da transformação digital é a coleta e avaliação direcionadas de dados. Não há necessidade de alterar o maquinário; em muitos casos, basta capturar os dados que eram registrados em papel, diretamente por via eletrônica, para avaliar imediatamente os dados que serão fornecidos por sistemas e sensores e então poder traçar correlações.

Indústria + digitalização = Indústria 4.0

Afinal, o que está por trás da 4ª Revolução Industrial? Poderíamos resumir a Indústria 4.0 a partir de seus três pilares:

1. a digitalização da produção

2. automação

3. a troca automática de dados


O conceito de transformação digital levado para a indústria de transformação é a chamada digitalização da produção, que é um dos três pilares da indústria 4.0. A questão central da digitalização no processo de produção é a coleta e a avaliação dos dados de forma sensata e eficiente ao longo da linha de produção. Isso começa com a avaliação dos fornecedores das matérias-primas, com o monitoramento das matérias-primas utilizadas, o desenvolvimento da qualidade do produto no decorrer da produção até as entregas ao cliente.

Indústria 4.0 + Gerenciamento da Qualidade = Qualidade 4.0

Seja na agroindústria, na indústria automotiva ou na indústria de serviços, os objetivos do gerenciamento da qualidade não diferem. É necessário, mas não se encontra limitado ao seguinte: alta segurança operacional, redução de falhas e de mau funcionamento, curtos tempos de parada e coordenação ideal com a produção, alta satisfação do cliente, alta lealdade do cliente e melhoria da qualidade do produto.

Por sua vez, as tendências na Indústria 4.0 e as oportunidades de garantia da qualidade são a integração com o cliente; medição em linha, manutenção baseada em condições, processos de produção de aprendizado, parâmetros de controle de processo em tempo real, processo de melhoria contínua independente no CPS (sistemas ciber-físicos) e sistemas de assistência inteligentes.

A qualidade está mudando devido à digitalização e é neste ponto em que a Qualidade 4.0 fornece potencial para a criação de valor. Embora existam múltiplas possibilidades, três temas centrais podem ser mencionados:

Tempos de reação, relacionamentos e previsões

Por exemplo, o registro eletrônico imediato de indicadores de qualidade permite sua avaliação imediata. Se as métricas piorarem, elas poderão ser observadas imediatamente e uma ação poderá ser tomada antes que algum dano venha a ocorrer. Ao comparar indicadores de produção e indicadores de qualidade, será possível identificar relações e tomar medidas para evitar interrupções.

A qualidade 4.0, em resumo, pode ser entendida como a qualidade sem interrupções da mídia, utilizando sistemas de ajuda, estabelecimento e conformidade de padrões, avaliação de máquinas e dados de medição, bem como integração de tecnologias de identificação.



Sobre os autores

Sergio Salimbeni - Especialista em desenvolvimento de negócios, projetos e gerenciamento de processos, na América Latina. Também atuou como executivo no Brasil. Professor e Pesquisador no Instituto de Ciência e Tecnologia na USAL Argentina. Mestre em Negócios e PhD em Administração. Membro da Interactti – Rede de Empreendedorismo e Negócios.

Carla Sandler - Especialista e Mentora em Processos Industriais, Melhoria Contínua e Indústria 4.0, Mestre em Ciências pela USP, Membro da Interactti – Rede de Empreendedorismo e Negócios.


Gostou desse artigo? Então curta, comente e compartilhe com sua rede!


 “Abrir a nossa mente para novas possibilidades amplia a nossa visão de vida e nos motiva

a definir estratégias para a construção do futuro que queremos.”  Simone Basile 

© Copyright  2014 / 2019   Todos os direitos Reservados Interactti

Telefone 55 11 94538 6527