Gerenciamento 4.0 – o status na América Latina


A Transformação Digital apresenta novos e enormes desafios. Novas habilidades serão essenciais o sucesso neste mundo digital.


Uma pesquisa realizada pela universidade USAL - Universidad del Salvador na América Latina, constatou-se que menos da metade dos gestores nas empresas sabem realmente o que é a Indústria 4.0.


Na mesma pesquisa, apenas 3 em cada 10 entrevistados disseram ter um "norte" para a transformação digital, e esse resultado não diferiu considerando o porte das empresas pesquisadas, encontrou-se essa realidade tanto em pequenas e médias empresas quanto em grandes.

________________________________________________________________________

Há ainda um longo caminho a percorrer na gestão das organizações

na 4ª Revolução Industrial.

________________________________________________________________________



E por que isso acontece?


A resposta não é tão simples, mas vamos analisar aqui um aspecto que explica, em parte, essa realidade: a trajetória que percorremos até hoje e as ferramentas que nos foram disponibilizadas até então.


Considerando os diferentes estágios do gerenciamento, podemos resumir assim a nossa trajetória:

a. Gestão 1.0 - orientada para hierarquias – aqui as organizações eram consideradas máquinas e as pessoas engrenagens que faziam parte dessas máquinas.


b. Gestão 2.0 - orientada para pessoas – nessa 2ª Onda as organizações reconheceram que seu capital mais importante eram as pessoas, e que realmente eram elas que prestavam serviços e construíam o produto desejado;


c. Gestão 3.0 – orientada para sistemas complexos e responsabilidade de todos – a partir de 2011, Jurgen Appelo publicou o livro Management 3.0. A ideia era promover o tratamento das organizações como sistemas complexos. A administração deixa de ser responsabilidade de alguns para ser responsabilidade de todos; essa é a ideia do pensamento sistêmico. O trabalho de uma organização é o resultado de todo o sistema, não de um indivíduo.


E enfim, a Gestão 4.0...

Desde a última década do século passado, as tecnologias digitais tornaram-se mais acessíveis e cada vez mais integradas na maioria dos locais de trabalho. Essa ruptura se aceleraria nos próximos anos, transformando o local de trabalho e o mundo.


Em particular, neste último ano, 2020, com o início da pandemia, a adoção dessas novas tecnologias e modalidades de trabalho tem se acelerado. As mudanças que estão sendo observadas não eram imagináveis ​​há apenas um ano. A realidade impôs uma série de mudanças na vida diária. Não só a tecnologia atingiu quase todos os setores, mas o próprio modo de vida, a sociedade está se adaptando a essa nova realidade, o mundo está mudando rapidamente.


Muitas das teorias e ferramentas de gestão que são aplicadas hoje foram desenvolvidas para estruturas organizacionais tradicionais e pode-se dizer que pertencem ao passado, mas, a tomada das decisões baseadas em dados é a nova tendência.

________________________________________________________________________

A gestão e tomada de decisões baseadas em dados - Data-Driven,

é o aspecto mais importante nesta nova onda de Gestão, o Management 4.0.

________________________________________________________________________


A pesquisa que tinha como principal objetivo mapear o status da região da América Latina, na questão do Gerenciamento 4.0, foi realizada tanto em empresas de manufatura quanto de serviços.


Logo abaixo ressaltamos duas das cinco dimensões avaliadas, que são dimensões-chave para o gerenciamento, e os respectivos fatores avaliados:


(1) Trabalho Inteligente e Organização: roadmap da Indústria 4.0; treinamento multi skills; Inciativas de Inovação; Gestão de Processo; Gestão Ágil e Modelos de Rede de Colaboração.

(2) Sistemas de Informação: CRM, ERP, PPM, PLM, EQM e EHSM.


A “régua” para qualificação foi de 1 a 5, sendo:


1 - Não implementado

5 - Totalmente implementado




Algumas conclusões importantes foram extraídas desse estudo e destacamos algumas:


a. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os setores de serviços e de manufatura, mas há diferenças no nível de maturidade entre as pequenas e grandes empresas;


b. A gestão por processos e as metodologias ágeis são os dois fatores mais bem desenvolvidos;


c. O software de gestão de relacionamento com o cliente (CRM) está bem difundido, tanto em pequenas como grandes empresas, o mesmo não ocorrendo com outros tipos de ferramentas de gestão e sistemas de informação, que só aparecem mais desenvolvidos nas grandes empresas.


d. Em relação ao desenvolvimento do capital humano, verificou-se que o desenvolvimento em competências transversais e o incentivo à criatividade e inovação, ainda se mostram insuficientes.


Concluindo:


· Ainda estamos na metade do caminho em relação à Transformação Digital e Indústria 4.0.


· A gestão orientada por dados e as competências transversais devem ser desenvolvidas ainda mais, fundamentalmente nas gerências médias e superiores, para depois focar os demais níveis da organização.


· São esses alguns dos conhecimentos e técnicas de trabalho que compõem o novo Worker 4.0, o mais importante "ativo" de qualquer empresa.



Sobre o autor:


Sergio Salimbeni

PhD e Profesor e Investigador del Instituto de Ciencia y Tecnología de la Facultad de Ingeniería de la USAL. Membro da INTERACTTI – Rede de Empreendedorismo e Negócios - América Latina

Linkedin


Acesse a nossa página no Linkedin para ter acesso a outros conteúdos.

Nos siga.

https://bit.ly/3kcLsud



29 visualizações