Economia Circular. Uma visão fundamental para os empreendedores. Um conceito essencial para Negócios Transformadores.

Publicado por SIMONE BASILE em 03/08/2018 às 13h30

Em algum momento você já deve ter ouvido ou lido a expressão “economia circular”.

Mas o que é isso? E o que isso tem a ver com Empreendedorismo e Negócios Transformadores?

Em primeiro lugar podemos começar dizendo que a economia circular e a economia linear são modelos de produção de bens e serviços com visões opostas.

Então, vamos entender de forma sucinta o que é economia linear ou economia clássica.

Ainda hoje aprendemos em Administração de Produção que o processo para produzir bens e/ou serviços é linear, ou seja, entram os recursos que vem do ambiente externo denominados inputs e por meio de um processo de transformação, saem os bens e serviços, denominados outputs. (ver figura abaixo)

 

Sistema de Transformação Linear

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: própria autora

 

Nessa visão, é “natural” que o processo de transformação gere resíduos, rejeitos, o que para a maioria ainda é visto como “lixo”. Nem precisamos dizer o quanto esse “lixo” impacta negativamente no meio ambiente, na saúde e na sociedade como um todo. Claro que hoje, em quase todos os países, há uma preocupação com o tratamento dos resíduos gerados, mas normalmente, trata-se de um processo ainda muito caro e demorado, que gera um enorme desperdício, e não tem solucionado o enorme problema.

 

A Transição para A Economia Circular e seu Impacto no PIB

Mas, e se enxergarmos o processo de transformação com outro olhar? Por exemplo, um processo não linear e sim circular, inspirado no que acontece na própria natureza, onde nada é perdido, nada é descartado na cadeia, tudo se aproveita ou se transforma. Portanto, uma produção que não gera nem resíduos e nem descartes, até porque o que é resíduo para alguns é matéria prima e insumo para outros, ou ainda, os supostos resíduos podem ser reciclados e transformados em outros produtos para novamente serem colocados no mercado.  De forma sucinta, essa é a visão da Economia Circular.

Uma pesquisa conjunta da Ellen MacArthur Foundation com o McKinsey Centre for Business and the Enviroment e a SUN mostrou que, "com a adoção de princípios da economia circular, a Europa pode canalizar a iminente revolução da tecnologia digital em um cenário de economia circular para aumentar o PIB em € 1,8 trilhão até 2030". Uma análise similar, também realizada pela Ellen MacArthur Foundation, indicou que, "em 2050, uma trajetória de desenvolvimento fundamentada na economia circular pode proporcionar à Índia benefícios anuais de US$ 624 bilhões, o equivalente a 30% do atual PIB do país."

 

Sistema de Transformação Circular – CLIQUE AQUI  para ter acesso ao Diagrama do Sistema da Economia Circular

 

Esse modelo circular não é ficção. Já vem sendo utilizado, mesmo que de forma parcial, por várias empresas. Em futuras publicações trataremos de alguns exemplos, no exterior e também no Brasil, incluindo em empresas de grande porte , bem como, de soluções inovadoras para fomentarmos esse modelo.

Hoje vamos falar de um exemplo muito interessante e bem sucedido aqui no Brasil. A cadeia produtiva do maracujá no Rio de Janeiro.

Resultado de parceria público-privado, a indústria Extrair Óleos Naturais utiliza as sementes de maracujá, provenientes de resíduos de indústrias de sucos e polpas do Norte Fluminense, para extração de óleo de alta qualidade que pode ser utilizado tanto na indústria de cosmético como na indústria alimentícia, para o desenvolvimento de novos produtos, como sabonetes, pães, biscoitos, sorvetes, caldas e recheios.

Saiba mais em https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/2071280/biscoitos-e-cosmeticos-dos-residuos-do-maracuja

 

Como cerca de 70% do maracujá é composto por casca e semente, estima-se que essa indústria fluminense possa gerar um desperdício e um impacto ambiental de cerca de 40 mil toneladas por ano, caso esses resíduos não sejam aproveitados. 

 

Economia Circular – Uma premissa nos Negócios Transformadores

Com certeza estamos diante de um “novo” paradigma de produção de bens e serviços, mas que não deveria ser tão “novo” assim, por se tratar de um modelo lógico, inspirado na natureza, que não gera “lixo”, nem desperdício, já que tudo se transforma em outra coisa que tem valor para alguém. O não lógico é exatamente o que ainda estamos fazendo hoje.

É fundamental que os empreendedores comecem a pensar seus empreendimentos no modelo lógico da economia circular, formulando estratégias e desenvolvendo planos de negócios com essa visão, pois dessa forma, além de diminuírem o seu impacto ambiental, poderão agregar mais valor aos seus produtos, inclusive, em alguns casos, gerando receitas com “subprodutos”, na medida em que os seus “resíduos” poderão ser transformados e reintroduzidos no mercado em forma de insumos e novos produtos para outras indústrias.

Essa é uma das premissas dos Negócios Transformadores. Todos devem ganhar: os negócios, a economia como um todo, o meio ambiente e seus recursos naturais finitos, a sociedade.

Então, que tal adotarmos essas práticas nos negócios desde já? 

Mais informações sobre a Economia Circular leia o relatório Uma Economia Circular no Brasil da Ellen MacArthur Foundation.

Se você tem alguma experiência para relatar, comente aqui. Vamos trocar ideias.

Se você tem alguma ideia para um negócio transformador entre em contato: simone@interactti.com.br

 

 

Enviar comentário

voltar para Blog

show tsN center fsN b05s bsd fwB|tsN fwB show left|left show fwR tsN normalcase fsN|bnull||image-wrap|news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN sbss|b01 c05 bsd|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|signup c05|content-inner||